subscrever o vídeo do dia aeiou:
subscrição efectuada.
  • Helicoptero da polícia cívil matando o traficante Matematico

    teste
    FAVORITO
    3.00/5
    Partilha no teu site ou blog:

    Incrível operação da policia civil onde com fuzis em cima do helicoptero conseguirar executar o traficante Matematico
    A operação que foi feita com equipamentos de visão especiais (visão noturna) , foi bem sucedida pois não houve civis mortos, já que os tiros foram efetuados em ruas habitadas.

    Notícia de um famoso portal:
    A operação feita na Favela da Coreia, na noite do dia 11 de maio do ano passado, em que foi morto o traficante Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, pode ter colocado em risco moradores da comunidade, conforme o “Fantástico”, da Rede Globo, mostrou neste domingo. Especialistas em segurança analisaram imagens da ação, feitas de uma câmera instalada no helicóptero da Polícia Civil, e viram falhas na conduta dos policiais, que fizeram disparos aéreos em área residencial. A ação é investigada pela Corregedoria da Polícia Civil.
    Na ocasião, a Polícia Federal repassou informações do paradeiro do traficante aos policiais civis, que estavam na aeronave. A perseguição se estendeu por nove quarteirões e durou dois minutos.
    As imagens mostram que casas e um prédio foram alvejados. Os áudios da gravação da perseguição revelam que os policiais não tinham certeza absoluta de que o alvo era Matemático. “Tá parecendo ele, hein?”, diz um deles. O outro responde: “É isso aí. Parece mesmo”.
    Para o ex-capitão do Bope Rodrigo Pimentel, apesar de a aeronave ter sido alvejada, a quantidade de tiros dos policiais foi demasiada:
    - Se a perseguição fosse num bairro residencial de classe média será que a polícia faria essa quantidade de disparos? Certamente não.
    O piloto Adonis Oliveira, que comandava o helicóptero, defendeu a ação:
    - Apesar de a imagem ser feita a uma distância muito longa, e à noite, por conta do biotipo, a gente tinha certeza que era o Matemático.
    A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, admitiu a possibilidade de uma “ação desproporcional”.
    - A corregedoria investiga a ação há 15 dias. O papel da polícia é prender. A morte é em último caso.

Comentários

A preparar comentários...
  • portal aeiou.pt

    Chat Bla Bla

    mail grátis aeiou    zap aeiou

  • Área Pessoal